Sexta, Outubro 24, 2014

O lado sério do riso

Muito se fala a respeito do riso, hoje, no mundo inteiro.

A mídia faz enaltecer a terapia do riso como uma terapia divertida, por isso mesmo, fixa o rótulo (nas entrelinhas) de mais um modismo passageiro.

Poucos conhecem a fonte ou se interessam em buscar mais do que a descarga de serotonina e endorfina para o corpo físico. É necessário um aprofundamento consciente. É também preciso que haja a transformação pessoal pela vontade.

Na Oficina do Riso, você é estimulado(a) a crescer consciencialmente, descobrindo os nós e laços do seu processo evolutivo. E, através da conscientização, você compreende o rir de si mesmo como ferramenta básica para o desapego e contra a infelicidade emocional.

Experiências fora do corpo e estados alterados da consciência são estimulados por técnicas específicas, e com objetivo de autoconhecimento e desbloqueio do chacra cardíaco (o portal energético da nossa manifestação de amor).

Fundamento Antigo no Mundo Contemporâneo

A palavra riso, em si, traz sensações a quem a lê. Muitos sentem-se já travados, sérios demais. Outros imaginam que rir é aquele ato social de se contar um piada entre os amigos.... Poucos imaginam que na Antiga Índia, China e Tibet, "o riso" era tratado como fonte de um estado consciencial elevado.

Estado consciencial elevado é o quanto de lucidez amorosa (com sabedoria, conhecimento e verdade) que uma consciência encarnada ou desencarnada consegue irradiar. É a iluminação que o Buda pregou no caminho óctuplo, o "Ananda" (do sânscrito: bem-aventurança) que Krishna difundiu através da yoga; o Amor e Perdão que Jesus sempre pregou.

Não estamos falando de religião, mas de ensinamento básico para evoluir o padrão de consciência da raça humana. Pois, cada vez que alguém transforma seu próprio padrão no microcosmos, o padrão macro também é alterado.

Você consegue imaginar alguém realmente evoluído e mal humorado? Poderoso e enfezadinho? (risos)

É por isso que nos estudos da consciência do Antigo Oriente, o riso era tratado como um estado natural da expressão espiritual no cotidiano.

Somente alguém que sintoniza o estado de graça e bem-aventurança do riso e toda transformação pessoal que ele exige na motivação, no ego, nas bioenergias, poderia estar no caminho da elevação espiritual.

E já que para dar essas pegadas luminosas de transformação todos nós precisamos de uma verdadeira "oficina", nada melhor do que aprender e compreender o sentido do rir de si mesmo! E sorrir de todas as maneiras, de dentro para fora e de fora para dentro, gargalhando - por quê, não?

A Oficina do Riso traz a fonte do riso para o trabalho de transformação pessoal. Como era no Antigo Oriente (China, Índia, Tibet, Japão, etc), dentro do taoísmo, hinduísmo, na filosofia zen, budismo, etc.

Essas técnicas proprorcionam desbloqueios de todos os tipos, desapego, liberação mental e emocional, consciência corporal, maior percepção, intuição mais apurada, superação pessoal, etc.

O riso, como estado de contentamento na alma, é constantemente estimulado como nível consciencial a ser atingido.

Um pouco da bioenergia do riso

  • O riso (a gargalhada), pela ressonância, vibra em toda a aura alterando padrões energéticos e desbloqueando algumas energias nos chacras.
  • Quando a gente gargalha, a aura se expande e fica toda rosa.
  • Visualizar o riso evoca o elevado nível consciencial, ou seja, você acessa diretamente na consciência, as virtudes de amor, verdade, compaixão e sabedoria que já são você - só que você ainda não sabe.
  • O hormônios da alegria (serotonina e endorfina) na verdade estão correlacionados ao campo consciencial, que compreende a união do chacra cardíaco com a pineal (união da mente com o coração). O cérebro apenas executa a função de gerenciador do estado humoral no corpo físico.
  • As três gunas (cordas), rajas(ação), tamas (inércia) e sattva (pureza, equilíbrio) estão diretamente ligadas ao seu estado humoral (e até mesmo à ausência do riso). E os venenos do apego e desejo também.
  • Rir no coração é uma grande técnica de desobsessão.
  • Ri mais que é mais livre mentalmente. Afinal, tudo está na mente e com aquilo que você se identifica mentalmente.
  • Levar o riso, como visualização e sentimento, para os órgãos internos leva à cura. O riso libera a culpa, as emoções grossas e o desamor é transformado em perdão e amor.
IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas
Rua Gomes Nogueira, 168 – Ipiranga – São Paulo – SP – CEP: 04265-010.
Telefones: (11) 2063-5381 ou (11) 2915-7351 das 12h às 18h (de 2ª à 6ª feira).
Informações sobre cursos e palestras: eippb@uol.com.br