1683 - ESPIRITUALIDADE - O FOGO VIVO DAS NOSSAS CANÇÕES

1683 espiritualidade o fogo vivo das nossas cancoes
 
ESPIRITUALIDADE – O FOGO VIVO DAS NOSSAS CANÇÕES
Quando o Fogo Derrete as distâncias e sintoniza os corações
 
Quando nossos corações foram tocados pelo fogo, algo novo aconteceu...
Passamos a escutar uma música secreta, feita de Luz espiritual.
Entramos numa jornada linda, por Amor.
Jogamos fora nossas ilusões de outrora e vislumbramos algo mais...
Então, as estrelas desceram em nossos olhos.
Passamos a ver o brilho da existência em cada momento.
Cantamos juntos a balada dos irmãos que atravessam as brumas...
Respiramos a Luz e aspiramos a essência espiritual.
O fogo veio e iluminou a trilha de nossos melhores sonhos.
Vimos que tudo era possível, inclusive, o florescimento de nós mesmos.
Ah, nada mais seria como antes porque estávamos juntos.
O mesmo fogo nos aquecia, em Espírito e Verdade.
À medida em que vencíamos os nossos medos, os véus se abriam...
Vimos que o invisível era a base do visível e que éramos conhecidos.
Descobrimos que era possível voar espiritualmente e fazer algo mais...
Passamos a perceber o dor dos outros e nossas mãos se tornaram Luz.
O fogo nos mostrou a borda de nós mesmos, espíritos feitos homens.
Aprendemos que somos um sonho do Todo*...
Sim, um sonho de realização e expressão nos planos fenomênicos.
Nós somos a canção do eterno, ecoando de estrela em estrela.
O fogo veio e incinerou nossas antigas rixas e ranços.
E nos reuniu num abraço verdadeiro, de coração a coração.
Ah, esse fogo, essa flama estelar, essa tal de Espiritualidade.
(Sem esse fogo, o que seria de nós?)
 
P.S.:
Quando nossos corações foram tocados pelo fogo, a Luz aconteceu!
Então, nos reencontramos na mesma senda...
Hoje, nós somos mais do que amigos.
Porque o fogo derreteu as distâncias entre nós.
Continuamos a ouvir aquela música secreta...
De coração a coração.
Essa música chamada “Espiritualidade”.
Bendita seja!
Ah, fogo... Obrigado.
(Quando o coração fala ao coração, não há mais nada a dizer.)
 
(Dedicado aos meus amigos de jornada espiritual e humana, físicos e extrafísicos e também ao Rama**.)
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
São Paulo, 12 de maio de 2019.
 
- Notas:
* O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
** Rama é um cãozinho da raça Yorkshire Terrier, de cor escura mesclada com tons claros, atualmente com dez anos de idade. O seu nome é uma homenagem a Rama, um dos maiores avatares da tradição hindu.
Ver o texto “Rama – Um Presentinho da Natureza – IV”, postado nesse link:http://www.ippb.org.br/textos/textos-periodicos/1440-rama-um-presentinho-da-natureza-iv (Rama – na cosmogonia hinduísta, é o sétimo avatar de Vishnu, o Divino Presevador da Vida. Sua história é contada no épico “O Ramayana”. Ao longo dos séculos, muitos iogues e iniciados tomaram o seu nome em homenagem as suas qualidades, como honra, Amor, generosidade, firmeza de caráter e serviço à Luz).
Obs.: Enquanto eu editava essas linhas a limpo, rolava aqui no meu som a música “Heart To Heart”, da banda americana de pop/rock Ambrosia (com a participação de Daniel Kobialka no violino). Então, para quem quiser apreciar essa linda canção, deixo, na sequência, o seu link do Youtube.
- Ambrosia - “Heart to Heart” -
https://www.youtube.com/watch?v=cJXMpkAgQXU
 

Texto <1683><15/05/2019>

Tags: Wagner Borges

Imprimir