1706 - CONVERSANDO SOBRE DARMA, SAMSARA E IMPERMANÊNCIA

 
 
1706 conversando sobre darma samsara e impermanencia
 
CONVERSANDO SOBRE DARMA, SAMSARA E IMPERMANÊNCIA
Esclarecimentos Espirituais Sobre o Tempo e a Jornada da Vida
 
Caros irmãos de darma*, a roda da vida gira sem cessar...
Muitas coisas acontecem, tudo muda, tudo gira, logo, tudo passa!
A característica principal da vida terrestre é a impermanência!
Nada é para sempre, tudo muda, a roda gira e tudo passa...
Muitos buscadores, de várias linhas espirituais, costumam dizer que é necessário vencer a roda de Samsara**, pois estar preso em seu giro é uma limitação à consciência cósmica. No entanto, só ficam limitados aqueles iludidos da própria natureza espiritual, que confundem a personalidade transitória e carnal com o espírito universal, que é sempre o mesmo, em essência sutil, por baixo das vestes do corpo e da identidade temporária.
Só os incautos são passivos e permitem que o giro os leve às paragens do ilusório.
A verdade é essa: a roda só esmaga os fracos de espírito, que deixam-se levar pelas engrenagens cármicas*** limitantes.”
Porém, para os iniciados e as pessoas conscientes do vasto potencial espiritual guardado por Brahman**** no templo secreto de seus corações, a roda não é inimiga, é aliada!
Rodar consciente em seu giro é uma coisa, mas girar inconscientemente e ao sabor das ligaduras cármicas é sofrer e se iludir.
O iniciado é amigo da vida, pois sabe que ela é a mesma em todos os planos de manifestação. Ele sabe que o Todo está em tudo, mesmo dentro da roda. Ela gira, mas Ele é a causa de todos os movimentos. Ele é a Causa Primária, o Absoluto, mesmo dentro do giro relativo das coisas e dos seres.
O iniciado aprendeu a respeitar o valor da vida, onde ele é eterno aprendiz. Ele também gira, mas compreende a natureza do movimento e o respeita. Ele desce e entra na roda reencarnatória, mas compreende os motivos e sabe que isso é necessário ao seu burilamento espiritual.
Por isso, não considera a roda como inimiga limitadora, mas como sua professora.
Mesmo na roda, ele conhece a consciência cósmica, pois estuda e vive sob os princípios espirituais da retidão e da inteligência aliada ao Amor e à Luz.
Ele sabe que os mestres invisíveis o guiam no giro, mesmo quando nem ele os percebe diretamente.
Ele gira, gira e gira, mas sabe que fugir da roda da vida não o leva à sabedoria!
Porém, aprender com ela a arte da paciência e do equilíbrio o levará à consciência cósmica no momento certo. No coração do iniciado das artes espirituais já existe um contentamento, um entendimento feliz, um conhecimento de que tudo passa e sua consciência permanece.
O iniciado não foge do darma e o cumpre no giro da roda da vida, onde ele aprende e trabalha.
A roda gira e os fracos se lamentam e choram, como se estivessem abandonados à própria sorte, sem recursos internos e sem esperança na jornada, que, para eles, é sempre dolorida e cinzenta.
Dentro de seus corações, o jogo emocional é denso e há um emaranhado de contradições e desditas, fibrilando o seu equilíbrio vital.
Mágoas, crendices descabidas, desejos de vingança e muito mais vedam os potenciais secretos do espírito, submetendo-o às engrenagens cármicas e corretivas da roda de Samsara.
Quem é fraco gira ao sabor do carma...
Quem é iniciado, em qualquer linha espiritual, luta, aprende e se esforça por climas melhores, dentro e fora, na Terra e além...
Quando os que se lamentam não entendem como o iniciado mantém as esperanças, mesmo sob o peso das provas retificadoras, ele se cala e se escora na prece silenciosa e na meditação serena.
Ele sabe mergulhar no eterno, em seu próprio coração.
Ele sabe que o Todo está ali!
Ele sabe que é imortal!
Ele sabe que as coisas passam, como sempre...
Ele conhece e respeita a vida e, por isso, a roda da vida o respeita, pois ela também o conhece!
O iniciado e a roda são irmãos, filhos da mesma expressão da vida que está em tudo. Ela gira e tudo passa, ele gira junto, mas só os seus corpos perecíveis é que passam...
Ele sabe que é consciência imperecível, a essência que sempre existirá, eterna neófita do Todo.
Por isso, o iniciado jamais perde as esperanças.
Ele sabe... Ele sabe... Ele sabe...
 
P.S.:
“Brahman é o senhor de todos os movimentos.
Ele é o Mestre de todos.
Ele é o fim da saudade do Amor!”
 
Paz e Luz!
 
- Os Iniciados***** -
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges.)
 
- Notas:
* Darma – do sânscrito, dharma – dever, missão, programação existencial, mérito, bênção, ação virtuosa, meta elevada, conduta sadia, atitude correta, motivação para o que for positivo e de acordo com o Bem comum.
** Samsara – do sânscrito – a roda reencarnatória; o fluxo incessante de renascimentos através dos mundos.
*** Cármicas – do sânscrito, karma - ação, causa - toda ação gera uma reação correspondente; toda causa gera o seu efeito correspondente. A esse mecanismo universal os hindus chamaram carma. Suas repercussões na vida dos seres e seus atos podem ser denominados de consequências cármicas.
**** Brahman – do sânscrito - O Supremo; O Todo; O Grande Arquiteto Do Universo; Deus; O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência, além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-Lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele/Ela é Pai-Mãe de todos.
***** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por mentores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.
 

Texto <1706><20/09/2019>
 

Tags: Wagner Borges

Imprimir Email