IDENTIDADE ILUSÓRIA E IDENTIDADE REAL DA BRUXA

Nós Bruxas temos a mania de pensar... Desenvolvemos o hábito de questionar tudo em volta, por isso não temos gurus, guias espirituais ou pastores, pois entendemos que somos capazes de nos responsabilizarmos por nós mesmas e pelos nossos atos.

Acreditamos que a nossa natureza mais profunda, a que chamamos de ESSÊNCIA PRIMORDIAL, é divina e a ela damos o nome de DEUSA INTERIOR. Sabemos que somos idênticas ao princípio da criação, assim buscamos explicar a intensidade da nossa crença.

Descobrimos a nossa verdadeira identidade a partir do comprometimento que assumimos com a devoção aos nossos Deuses, e principalmente com a nossa DEUSA INTERIOR.
Ao resgatarmos as nossas origens, ao retirarmos os véus, do mais leve ao mais denso do nosso Ego, encontramos a nossa verdadeira identidade mágica.

Ao nos depararmos com a nossa identidade ilusória através das buscas de nós mesmos, quando a nossa Deusa Interior desperta, e em situações extremas na busca do autoconhecimento, nos entregamos aos bons combates contra as inúmeras armadilhas do Ego.

A Mãe Dor nos acolhe, nos aconchega e nos mostra, geralmente com formas amargas através do espelho da alma, quem somos verdadeiramente. E, na expressão extrema de nós mesmos nos debatemos, e não queremos aceitar essa identidade, pois a identidade ilusória criada pelo Ego é sempre mais bonita e confortável. A realidade superficial ilusória desta identidade nova é trabalhada com um senso tão agudo de minúsculos detalhes, que o resultado é totalmente convincente e acreditável, visto que a maioria das pessoas passa pela vida física, e morre sem jamais se dar conta da sua ESSÊNCIA PRIMORDIAL. Permanecem presas por toda a vida na complexa e intrincada teia de sua identidade ilusória.

Minha avó, Chica Cruz, dizia que “tanto o sapo feio, como a delicada borboleta, foram incluídos no processo do grande útero, ou seja, da mesma origem e vivendo no mesmo espaço, o planeta Terra, como um antagonismo para confundir a mente concreta humana”.

Por isso, os caminhos para a sabedoria das leis que regem o universo são repletos de sofrimentos, medos, ansiedades, riscos e desafios. Mas só ele oferece a possibilidade de descobrir a verdadeira natureza da criação.

As tecnologias do sagrado, desenvolvidas pelas nossas ancestrais têm sido repudiadas pelas autoridades das religiões oficiais e pela Ciência, como produtos do pensamento mágico e superstições primitivas e selvagens. Como na nossa verdadeira natureza, a Bruxa jamais se deixa abater pelas adversidades, muito pelo contrário, essas são sempre molas impulsionadoras, verdadeiras alavancas para um recomeçar sempre. Entendemos que a energia sistemática, contínua entre a ESSÊNCIA PRIMORDIAL e a Identidade ilusória, é força vibrante que tende a puxar para o canal mais fácil, por isso estamos sempre alertas às nossas próprias vibrações.

Entramos no jogo cósmico por livre decisão e ficamos nele devido à perfeição cultural, religiosa e de absoluta disciplina da nossa Tradição.

Em vez de sair ditando regras religiosas ao mundo, a Bruxa preocupa-se em se conhecer, encontrar sua verdadeira Identidade, que é sua ESSÊNCIA PRIMORDIAL, sua Deusa Interior. Preocupa-se em absorver o conhecimento e aplicá-lo no seu próprio desenvolvimento. Busca se sintonizar com a verdade do próximo, a partir da tomada de consciência da sua própria, pois o que está em cima está em baixo.

O tratamento superficial e mercantilista que normalmente se dá aos assuntos da Bruxaria é um lastimável aspecto com o qual devemos aprender a combater de forma serena, tranqüila e principalmente com respaldo cultural. Com tolerância e humildade, procuremos alertar as pessoas para o quanto estão desavisadas e mal informadas a respeito da nossa Religião. Que não alimentem a corrente de enganos sobre assuntos abordados sem a devida seriedade e responsabilidade.

Lembrando sempre que neste novo milênio há uma grande parcela de pessoas entusiastas que querem fórmulas prontas e acabadas para alcançar algum tipo de resultado mágico. A Bruxaria entrou na mídia como um grande modismo, e qualquer pessoa cativante que fale coisas fantásticas, que dê receitas desta e daquela magia, e pose de sabe-tudo, logo é elevado à categoria de Sacerdote ou Sacerdotisa. Joga-se perigosamente com a credulidade dos incautos, principalmente dos adolescentes, numa época de diversidades de crises de identidade e crenças.

É preciso um mínimo de lógica para entender que a Bruxaria não vende ilusões. É caminho árduo de autoconhecimento, fé, religiosidade, espiritualidade, e principalmente humildade.

O que não falta hoje são oportunistas bem articulados...

Crises de diversas origens pessoais e de todos os gêneros constituem necessidades de busca de líderes, o que deixa os incautos totalmente debilitados, impossibilitando-os de ver as armadilhas a que se expõe.

É de absoluta prioridade o trato sério dos temas relativos a nossa religião. A BRUXARIA É UMA RELIGIÃO, e como tal deve receber a sua devida representatividade.

Um dos princípios básicos da Bruxaria é só passar a sua verdade após uma iniciação sistemática, com considerável período de vivência pessoal. Pois sair por aí pregando uma verdade que não se conhece a fundo na prática é dar prova de imaturidade, querendo chamar atenção para si mesma.

As Bruxas mais experientes sabem o quanto a palavra traz a força da informação, e por maior que seja a verdade nela contida , precisamos ter certeza se a pessoa para a qual direcionamos as palavras está preparada para recebê-las.

A BRUXA VERDADEIRA, jamais fica proclamando seus dons e suas experiências extraordinárias, pois tem consciência de que suas conquistas representam pontos de força na afirmação da sua fé. São os elementos que lhe promovem sustentação energética para enfrentar os desafios naturais do caminho da sabedoria. Mesmo porque, guardar sigilo sobre os ensinamentos é compromisso de fé e respeito para com as nossas ancestrais e tradição. Inclusive, porque sendo uma pessoa consciente das Leis que regem o universo, se torna responsável pelos pensamentos e sentimentos que podem afetar, para bem ou para o mal, a outras pessoas.

Por tudo isso, a responsabilidade da Bruxa é muito maior. Ela sabe que na natureza todas as coisas estão inter-relacionadas. Seus pensamentos e sentimentos são poderosas emanações de força que desconhecem barreiras para chegarem aos seus semelhantes e ao todo.

A verdadeira Luz está ligada ao amor, o verdadeiro amor está ligado à verdadeira vontade, e a vontade gera a PAZ!


- Graça Azevedo, Senhora Telucama -
(Suma Sacerdotisa do Templo Casa Telucama)

Imprimir