843 - VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NAS RISADAS CURATIVAS II

(Quando os Budas Riem e Curam as Feridas dos Corações)
 
- Por Wagner Borges -
 
Amigo, desperte e ria!
Alaya – a Alma Universal – está chamando-o...
Escute o chamado, em seu coração:
“Om Mani Padme Hum... Om Mani Padme Hum...”
 
Lembre-se do ensinamento: “Os Budas riem!”
Na luz... Na luz... Na luz... O despertar.
Do grande coração de todos os Budas, direto ao seu coração:
“Salve a jóia no lótus!”
 
Por favor, acompanhe os Budas: Sorria!
Tudo passa. Tudo é lição. Conhecimento não é sabedoria.
Observe. Pondere. Medite. Ore. Compreenda. Desperte!
Cante com os Budas: “Paz, Peace, Shanti...”
 
Compreenda: violência é doença. Livre-se disso!
Abra o lótus do coração e revele o brilho da jóia.
Na luz da compaixão, vibre a favor de todos.
Os Budas operam nessa mesma luz, serenamente...
 
Enquanto os homens se agitam, os Budas agem em silêncio.
A luz não grita! Compaixão não é doutrina. Alegria não condena.
Quem está desperto, compreende...
E, quem compreende, não julga, apenas respeita e ama.
 
Compreenda: você também é Buda!
Então, abra o lótus do coração e ria...
Revele o brilho da jóia e cante contente:
“Om Mani Padme Hum... Om Mani Padme Hum...”
 
- Wagner Borges – sujeito com qualidades e defeitos, 46 anos de “encadernação”, que não é budista nem segue nenhuma doutrina criada pelos homens da Terra, e que dá uma grande sorte de, às vezes, pegar uma carona nas energias maravilhosas dos Budas e Bodhisattvas.
São Paulo, 29 de setembro de 2007.
 
 
- Nota:
* Para melhor compreensão desses escritos, reproduzo sua primeira parte na seqüência.
 
 
 
VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NAS RISADAS CURATIVAS
(Quando os Budas Riem e Curam as Feridas dos Corações)
 
- Por Wagner Borges -
 
O riso é um poderoso agente terapêutico.
Quando alguém está bem, em paz consigo mesmo, o riso transborda naturalmente, como estado de consciência, e o seu rosto se ilumina com mil brilhos.
Quando o lótus espiritual do coração se abre na divina compaixão, o resultado é uma profusão de luz e risadas maravilhosas.
Contentamento é estado de consciência interno e nada tem a ver com coisas fora de si mesmo. É luz feliz brotando das pétalas do lótus e irradiando a compaixão para todos.
É isso que o mantra OM MANI PADME HUM (1) representa!
Compaixão não é sisudez e silêncio não é isolamento do mundo.
Os Budas e Boddhisattvas (2) riem no silêncio entre os pensamentos dos homens. E eles gostam de cantar a compaixão por entre as batidas dos corações. Eles são puros como as gotinhas de orvalho deslizando pelas pétalas do lótus, e o som de suas risadas sadias viaja nas dez direções, levando cura e alegria para outros corações...
Eles sabem que a alegria cura e quebra as correntes do ódio, abrindo novos caminhos e regenerando vidas em inúmeros planos de manifestação.
Até as estrelas gostam de escutar essas risadas curativas e brilham mais por isso. Então, elas também cantam, lá no céu, para todos os corações:
“OM MANI PADME HUM... OM MANI PADME HUM... OM MANI PADME HUM...”
 
P.S.: Esses escritos foram feitos dentro dos estúdios da Rádio Mundial de São Paulo, durante a apresentação do meu programa “Viagem Espiritual” (3), onde eu explicava justamente sobre o significado espiritual do mantra Om Mani Padme Hum. Na verdade, fui inspirado por um amparador extrafísico ligado à atmosfera espiritual dos ensinamentos do Buda. Trata-se de um espírito dotado de alto bom humor e muito sorridente. Ficar perto dele é um privilégio. Faz gostar mais ainda de viver.
 
São Paulo, 07 de dezembro de 2006.
 
- Notas:
1. Om Mani Padme Hum - do sânscrito - sua tradução literal é: "Salve a jóia no lótus". Esse é um mantra de evocação do boddhisattva da compaixão entre os budistas tibetanos e chineses. Om é a vibração do TODO. Mani é a "Jóia espiritual que mora no coração", ou seja, é o próprio espírito, a essência divina. Lótus é o chacra cardíaco que envolve, energeticamente, essa jóia sutil. Hum é a vibração dessa compaixão do TODO vertendo a luz pelo chacra cardíaco em favor de todos os seres.
Esse mantra é mais conhecido como o "mantra da compaixão". É um dos mantras mais poderosos que conheço. Pode ser concentrado, mentalmente, dentro do peito – como se a voz mental estivesse reverberando ali –, ou dentro de qualquer um dos chacras que a pessoa desejar ativar. No entanto, o melhor lugar para ele é realmente o chacra cardíaco, pois o que chega ali é distribuído para todo o corpo, pela circulação do sangue comandada pelo coração, e também a todos os outros chacras do corpo energético.
O chacra frontal, na testa, também é excelente para a prática desse mantra, pois o que chega nele é distribuído ao longo da coluna pelos nádis – condutos sutis de transporte energético pelo sistema –, e comunicado a todos os outros chacras abaixo dele. Esse é o motivo pelo qual vários mestres iogues sempre aconselham aos seus discípulos iniciar alguma prática bioenergética por ele.
Um livro excelente sobre isso é o do pesquisador iogue japonês Hiroshi Motoyama, "Teoria dos Chacras", pela Editora Pensamento.
Eis alguns CDs maravilhosos que contêm esse mantra:
 
- Laíze, com a participação de Áurio Corrá nos teclados e arranjos. Cd. "OM", pela gravadora Alquimusic. A segunda faixa desse disco é um canto de amor e faz um bem enorme ao chacra cardíaco. É amor em forma de ondas sonoras.
- Cd. "Tibetan Incantations - The Meditative Sound of Buddhist Chants", pela gravadora Music Club, Série 50050. A segunda faixa é de uma profunda alegria e melhora o humor do ouvinte. É alegria em forma de ondas sonoras. A terceira música é o mantra Om Mani Padme Hum cantado à capela pelos monges tibetanos. Esse álbum tem 74 minutos de música.
- Cd. "Six-Word Mantra of Avalokitesvara - The Avalokitesvara Boddhisattva Dharma Door Vol. ll", pela gravadora Wind Records, Série TCD - 2109. Esse cd foi feito por músicos chineses e direcionado para a cura de órgãos internos pelo mantra Om Mani Padme Hum. Entretanto, como a pronúncia é chinesa, o mantra fica Om Mani Pa Me Hung. Seu efeito é bem forte. Nesse trabalho, o lance é mais de energia do que de amor. É vitalidade em ondas sonoras.
- Beijing Central Juvenile Chorus, Cd. "Wingsong of The Lotus World", pela gravadora Wind Records, Série TCD - 2152. Esse disco é cantado por um coro juvenil chinês. Aqui o bodhisattva Avalokitesvara, criador do mantra Om Mani Padme Hum – representado pelos chineses na figura da Deusa da compaixão "Kuan-Yin" –, é reverenciado em um belo canto que encanta o coração do ouvinte sensível. Esse disco é paz em ondas sonoras.
2. Buda - do sânscrito - O Iluminado; Aquele que despertou! Palavra derivada de “Buddhi”, que significa “Iluminação Pura” ou “Inteligência Pura”. Ou seja, quem alcança o estado de Buddhi, torna-se um Buda, um ser iluminado e desperto.
Bodhisattvas – do sânscrito – são aqueles seres bondosos que estão perto de tornarem-se Budas ou Iluminados. Para facilitar a explicação, podemos dizer que eles são canais espirituais ou avatares conscientes do amor de todos os Budas.
3. O programa “Viagem Espiritual” é apresentado todas as quintas-feiras na Rádio Mundial de São Paulo – 95.7 FM – das 19h às 20h.
Obs.: Ver a seção Rádio IPPB, que contém as gravações de vários programas, na coluna de Multimídia do site do IPPB – www.ippb.org.br


Texto <843><03/04/2008>

Imprimir Email