1239 - DISCERNIMENTO ESPIRITUAL X ASCENSÃO PANTANOSA

(Resposta ao e-mail de um amigo com a seguinte pergunta: “Como Alcançar a Ascensão Espiritual?”)
 
Fala, rapaz!
Tudo bom com você?
Sobre o que você me perguntou, eu tenho uma resposta, mas penso que não é o que você esperava! Na verdade, é um recado que recebi espiritualmente de um amparador do grupo extrafísico dos Iniciados*.
Como sempre, é um toque consciencial, contendo idéias profundas e sintetizadas de forma simples. E, quando recebi esses escritos, deixei-os de lado, pois não tinham nada a ver com o que rolava no momento. Até que vi o seu e-mail – e, então, vi que o toque era para você.
Pensando bem, acho que o toque serve para qualquer estudante de temas espirituais (incluindo eu mesmo, naturalmente), independente da linha de trabalho que goste mais.
Discernimento não tem fronteira nem é posse de nenhuma pessoa (nem de grupo ou instituto). Por isso, vou postar esses escritos lá pelo site do IPPB, pois poderão ser úteis para a reflexão de outras pessoas.
Vamos lá!
 
                                   * * *
 
“Irmão, olhe além dos estreitos horizontes das percepções dos seus cinco sentidos limitados.
Quebre os paradigmas que mantêm seu nível de lucidez submetidos ao medo e à inércia consciencial.
Você não é o centro do universo - e a natureza não opera segundo os desígnios dos homens. Zilhões de astros ardem na imensidão sideral, e isso independe do que você imagina ou pensa.
Na verdade, isso é por obra do Poder Maior Gerador das estrelas e da vida.
Compete a você observar e aprender, evoluir e discernir, nesse magnífico ato de viver...
Você não é o centro da vida, ninguém é! Contudo, você e todos os seres fazem parte dela. No centro de tudo, a Causa Maior! Em você, o Ser em observação e aprendizado.
Como ensinavam os grandes sábios espirituais nas iniciações do antigo Egito: O Todo** está em tudo, mas nem tudo percebe o Todo!”
 
- Os Iniciados -
 
                                 * * *
 
Acho que você não esperava uma resposta assim, mas é o que tenho para lhe dizer no momento. Se isso lhe for útil, aproveite. Se achar que não, simplesmente ignore.
O importante é ter discernimento suficiente para filtrar as coisas e saber extrair aquilo que seja sadio para o seu crescimento.
No meio do nevoeiro sensorial e das ilusões dos conceitos relativos dos homens, é sempre bom ponderar corretamente as coisas e saber ver o melhor em cada pessoa e situação; saber ver além das aparências e das confusões que rolam; e, acima de tudo, olhar as coisas sem arrogância, mantendo a mente e o coração abertos, para aprender e crescer nesse mundão de Deus.
Fique mais solto, rapaz!
De que adianta estudar temas espirituais e falar de consciência se não for para rir mais e ser feliz?
Se você não descobrir as grandes respostas, então seja feliz apenas com as pequenas respostas que o discernimento já lhe mostra em seu viver.
Você não será mestre numa vida (nem eu, graças a Deus!).
Então, seja somente você mesmo, melhorado a cada dia.
Faça o melhor que puder e deixe as ilusões de superioridade espiritual para quem tem o ego grande para se achar o tal...
Você reencarnou. Logo, dançou!
Vai ter que ralar e se virar, como homem, não como mestre.
Experimente pagar o seu aluguel com a cor linda de sua aura***, ou com o seu grau iniciático ou iogue, e veja se isso resolve a questão.
Fale para o seu filho pequeno, que chora pedindo atenção e carinho do pai, que você não pode atendê-lo, porque está num processo ascencional da ordem tal para atingir a culminância do seu desenvolvimento espiritual.
Experimente olhar para dentro de si mesmo e veja se encontra ali um mestre ou apenas um ser cheio de coisas para aprender (aliás, como todos os seres).
Cara, desconfie muito quando você achar que está com a bola toda e sabe jogar melhor do que os outros.
Releve mais as coisas e não seja radical com nada.
Solte-se e ria mais, principalmente de si mesmo.
Essa é uma das vantagens de não ser mestre espiritual: você pode rir do seu próprio ridículo, sem precisar ficar dando explicações para os discípulos. 
Observe se esse seu desejo de transcendência não é, na verdade, uma grande ilusão e roubada do seu ego. 
Por enquanto, seja criativo e faça algo bom, do seu jeito mesmo, sempre melhorando... Ria mais e seja feliz, aqui e agora!
E não se esqueça de quem está lhe dizendo isso sou eu, seu amigo, discípulo de nada e mestre de coisa alguma; aliás, se não sou mestre nem de mim mesmo, como poderia pretender ser mestre de alguém? 
Em tempo: dê um abraço em sua esposa e em seu filho, que são dois anjos que Deus colocou em seu caminho. E prepare-se, pois um “beija-flor espiritual” me disse que tem mais um anjinho querendo descer.
Resumindo: vem bebê por aí... E sua despesa aumentará!
(Quero ver você transcender espiritualmente com mais um filhote chegando na área e chorando a noite toda).
 
Um abraço.
 
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
 
- Notas:
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.
** O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
*** Aura – do latim, aura - sopro de ar – halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.
 

Texto <1239><16/03/2013>

Imprimir