1649 - TOQUES CONSCIENCIAIS DE UMA NOITE DE NOVEMBRO

1649 toques conscienciais de uma noite de novembro

TOQUES CONSCIENCIAIS DE UMA NOITE DE NOVEMBRO
(Relembrando que o Infinito é Possível...)
 
Eu estou aqui, mais vivo do que você imagina.
Às vezes, eu sei que você duvida disso.
Mas, posso lhe asseverar que não sou fantasma nem alma penada.
Eu existo, além do que você pensa ou do que imagina ser uma fantasia mística.
O meu corpo ficou aí na Terra, contudo, eu não fiquei junto de forma alguma!
Aliás, nem eu nem ninguém! Isso é fato, meu caro.
Nada pode matar a consciência espiritual (qual coisa material furaria o espírito?)
A passagem pela Terra é temporária, mas a jornada espiritual é eterna...
Portanto, não se deixe levar pela ilusão da perda e nem pela cegueira disso!
A vida continua... além da sua bobeira. E você sabe disso!
Então, por que você titubeia tanto em relação a isso?
Só porque outros lhe disseram algo diferente?
O que lhe diz seu coração? Você está surdo para si mesmo.
Talvez, desaprendeu a ser você mesmo e está indo pela opinião dos outros.
Engraçado! Estou aqui e sou eu mesmo, porque continuo existindo...
E você aí, parece mais um simulacro de si mesmo... um verdadeiro fantasma!
Que coisa irônica... Você acha que eu estou num túmulo?
Ou é você que está? Sim, no túmulo de si mesmo, enterrado em dúvidas...
Desculpa falar isso, mas é que você, agora, é o ex-você!
Você fechou os olhos para sua própria consciência e renegou o que sabia.
E pior: achou que estava avançando ao se congelar espiritualmente.
Só que, em seu coração, nada mudou... e eu estou aqui porque sou seu amigo.
Eu sei que você me sente, mas dá a desculpa que é sua mente criando coisas...
Principalmente, na hora de dormir, não é mesmo? Sou eu sim, meu velho.
Ao vê-lo com medo, me dá vontade de rir, porque é algo bisonho mesmo!
Na verdade, se o fantasma verdadeiro é você, eu que teria que correr...
Porque é o ex-você que está aí... macambúzio e cheio de mumunhas!
O homem que eu conheci olhava além do próprio umbigo e era risonho...
Reconhecia que a vida continua além da matéria e que o infinito era possível.
O Dr. Tempo está passando e com o perdão do trocadilho, sua hora virá...
Então, se toque, meu velho. Aproveite o tempo no mundo para crescer e ser feliz.
Isso só será possível se você escutar o seu coração e voltar a ser você mesmo.
Enquanto isso, eu fico aqui, torcendo por você (o homem real, não o fantasma).
Quando aqueles seus amigos lhe disserem que nada existe, não esquente!
O Dr. Tempo também está passando para eles... e o infinito virá com certeza!
Aliás, antes você sabia: o infinito é possível. Então, é hora de relembrar isso.
Hoje, eu vim lhe dizer o que o seu coração me pediu espiritualmente...
“Volte a ser você mesmo e novamente torne o infinito possível em seu olhar”.
(Seja alegre, meu caro e agradeça ao Papai do Céu, o Dono do infinito, por tudo).
 
- Arthur –
(Da Companhia do Amor - A Turma dos Poetas em Flor.)
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 6/11/2018.)
 
- Nota de Wagner Borges:
Essa mensagem foi destinada para uma pessoa conhecida, mas o seu conteúdo poderá ser útil para reflexões conscienciais de outros estudantes dos temas espirituais. Então, estou disponibilizando os escritos de forma aberta para todos.
Quem sabe, de alguma forma, esses toques conscienciais também sejam pertinentes ao momento de outros nas mesmas condições existenciais?
O que eu sei é isso aqui: “De que adianta a uma pessoa ganhar o mundo, se ela perder sua alma?”
Paz e Luz!
 
(Enquanto eu editava essas linhas, rolava aqui no meu som a música “faces of Light”, da banda inglesa de rock progressivo Pendragon. Então, para quem também quiser apreciar essa linda canção, deixo, na sequência, o seu link no Youtube): https://www.youtube.com/watch?v=SE1FV0OtyF8
 
- Notas:
* A Companhia do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem-humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor. Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Para mais detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver os livros "Companhia do Amor - A Turma dos Poetas em Flor – Volumes 1 e 2" - Edição independente - Wagner Borges, e sua coluna no site do IPPB (que é uma das seções mais visitadas no site): http://www.ippb.org.br/textos/companhia-do-amor
(Enquanto eu editava essas linhas, rolava aqui no meu som a música “faces of Light”, da banda inglesa de rock progressivo Pendragon. Então, para quem também quiser apreciar essa linda canção, deixo, na sequência, o seu link no Youtube.)

Texto <1649><07/11/2018>
 

Tags: Wagner Borges

Imprimir