44 - PRÁTICA DE INTENSO PURUSHARTA* COM A NATUREZA E CONSIGO MESMO

(Faça com a mente lúcida e aberta para o fluxo da vida)

Olhar pacificamente o nascer do sol ou o crepúsculo.
A luz do sol vitaliza o corpo energético.

Integrar-se com uma árvore.
A energia das árvores vitaliza os pulmões e o chacra esplênico.

Integrar-se com a Mãe Terra.
Andar na areia da praia ou pisar na grama verdinha com amor e consciência.

Quando possível, tomar um banho de mar ou de cachoeira.
As energias da água em movimento limpam o corpo energético.

Sentar-se tranqüilo para apreciar o movimento das ondas do mar ou o fluxo das águas da cachoeira ou de um rio.
O som das águas em movimento energiza o plexo solar.

Respirar no alto de uma montanha.
O prana do alto da montanha é mais sukshima** e renova o corpo energético.

Por favor, seja dinâmico, porém, seja também coerente e pacífico.

Ser bom e honesto é sempre difícil. Por isso, persista nos objetivos sadios!

Só os fortes de espírito conseguem superar as pré-disposições negativas.

Não se iluda: perante a Evolução, você não é especial! Ninguém é!

Se possível, não se alimente de salsicha ou lingüiça de qualquer tipo, nem de carne de porco, pois são alimentos que degradam bastante a aura humana. Tome cuidado com o excesso de chocolate e cafeína.

Você aceita bem seu corpo?

Muitas vezes, o remédio da sabedoria é amargo, pois destrói nossas ilusões e perspectivas tolas.

O livro espiritualista é um autêntico descongestionante consciencial.

Energia é vida!

A raiva é péssima conselheira.

Por que as pessoas são tão belicosas?

O intelecto é trágico quando mal administrado.

Atenção: Carma não é vingança divina! É somente causa e efeito de suas próprias escolhas e afinidades.

Como diz Ramatís: "Cada um colhe o que planta. E se a semeadura é livre, a colheita é obrigatória!"

Evite as batalhas mentais.

Ficar sozinho não é tão trágico. Pior é ser escravo do apego de alguém.
Quem não consegue ficar bem sozinho, não tem estrutura para ficar bem com ninguém, pois se não consegue se relacionar bem consigo mesmo, como conseguirá se relacionar bem com os outros?

Não se esqueça do sorriso interior!

Para concluirmos este texto, nada melhor do que buscarmos a inspiração dos rishis (sábios) do Chandogya Upanishad:

"Há uma luz que brilha entre todas as coisas da Terra,
entre todos nós, entre os céus, até os céus mais elevados.
Esta é a luz que brilha em nosso coração."

- Wagner Borges -
/*


* Purusharta (do sânscrito): atenção plena.
** Sukshima (do sânscrito): sutil, rarefeito.

Texto <44><24/08/1998>

Imprimir