AMOR INTERDIMENSIONAL - por Wellington Santos

- Por Wellington Santos -

ELE acompanha os seus passos cambaleantes com paciência e compaixão. Vê a sua falta de consciência sobre as grandes coisas em seu caminho, percebe com nitidez várias presenças espirituais o cercando, e tristemente reparando que são invisíveis para ele, mas destrutivos a sua saúde.

O bêbado vai seguindo pela rua, aparentemente sem destino aos olhos das pessoas que passam. Ele segue durante horas no seu ritmo lento, sendo amparado e sugado energeticamente ao mesmo tempo. ELE vê os acompanhantes extrafísicos de olhos vidrados e expressões perturbadas, que se comprazem em sentir o cheiro do álcool e ver o líquido descer pela garganta de seu "companheiro". Estes quase sentem o gosto saudoso da aguardente.

Nota que os acompanhantes do bêbado deixam de se contentar apenas com este sugamento e olham ao redor. Percebem que um grupo de homens e mulheres alegres entram no bar, e correm nesta direção, porém, apanhados de surpresa, são capturados por um grupo ainda mais nefasto, que esperavam escondidos, se confundindo com a parede.

Há gritos, e depois apenas o barulho do mundo físico.

ELE olha mais uma vez para o bêbado caído, pois sem o apoio de antes, perde o equilíbrio.

O bêbado não sente dor física, pois sua consciência está totalmente turva e sem direção, e perde-se por suas memória doloridas.

Com extremo carinho, ELE se aproxima e vê parte destas memórias...
Erros cometidos no passado...
Mulher machucada...
filhos chorando...
arrependimento e dor...
em segundos tudo vem a sua mente.

ELE olha com compaixão, e uma onda de amor começa a nascer em seu peito. Uma luz rosa surge portando uma poderosa, porém sutil, energia que envolve os dois.

O bêbado deixa suas memórias doloridas, sente sono e adormece ali mesmo, no chão molhado e frio. Mas seu espírito está aquecido e tranqüilo, pelo menos naquele instante. Pois está nos braços de alguém que o conforta. Não nota, mas está numa sala branca e limpa, recebendo nutrientes necessários para o bem estar de seu corpo astral. Todos que o observam não o olham com acusação, apenas o contemplam com serenidade.

ELE olha para o bêbado mais uma vez, e observa os detalhes de suas feições aos poucos sendo mudadas e ficando cada vez mais próxima da pessoa que conhecia. Toca seu rosto com carinho e se recorda dos tempos em que esse mesmo rosto sorria e esbanjava felicidade. E neste momento, o bêbado mesmo desacordado, esboça um sorriso.

Ao mesmo tempo, o seu corpo físico é levado em uma veloz ambulância.

Pessoas correndo, anotando e tomando pulso, levam o corpo até uma sala fechada. Os familiares logo estão próximos à cama, segurando a mão e lamentando as brigas de antes, sem perceber que ELES estão ao redor limpando e energizando com amor os seus corações doloridos.

O bêbado volta ao corpo, mas segundos antes vê os seres luminosos sorrindo.

Já em seu corpo, abre os olhos repentinamente e nota seus familiares com os olhos molhados e ao mesmo tempo alegres. Neste momento, seu arrependimento se torna algo maior e, muito mais belo, se torna força de vontade.

Uma luz intensa se interconecta de seu coração ao seu chacra frontal. Neste instante, ele sente certeza.

E ELE, que acompanhava todos estes momentos, percebe que precisam de seus serviços de amparador extrafísico em outros lugares...

Wellington é nosso amigo e participante do grupo de estudos e assistência espiritual do IPPB. Ele autorizou-nos a postagem desse texto em nosso site.

Imprimir