ANDARILHO DAS ESTRELAS

Certa noite, eu andava pelas estrelas do infinito estampadas em meus pensamentos, e um amigo me surgiu. Com olhar sereno e terno, ele perguntou o que me levava a achar que ele era um amigo.

Então, lhe disse: “Pela forma que chegastes, me parecestes amigo - Olhar sereno, atitude moderada, tranqüila, e gestos nobres. Isso me pareceu ser muito amistoso. Daí concluí que tu eras meu amigo.”

E ele, com um sorriso entre os lábios, disse:

“Tu te enganas, meu irmão. Muitas vezes aquele que te sorri é menos amigo do que aquele que te critica. Aquele que te afaga o ego é, na maioria das vezes, aquele que, quando tu estiveres inflado e envolto nele, irá te derrubar do pedestal em que fostes colocado com uma pedrada entre os olhos.

Nem sempre aquele que te dá carinho é teu amigo. Muitas vezes, os verdadeiros amigos são aqueles que te criticam e te magoam. Não pelo sentido da crítica, mas pela ajuda que eles oferecem à tua reflexão de atitudes. Sei que é muito mais agradável estar entre aqueles que te elogiam, te enobrecem, te sorriem e te dão tapinhas nas costas, insuflando tua auto-estima. Mas serão estes, quando a situação apertar, os primeiros a virar as costas e te deixarem sozinho no altar que eles próprios te colocaram. Um a um, virarão as costas e te deixarão sozinho. E, ao se retirarem, tu verás que uns poucos sobraram.

Mas o que são estes poucos, dentre os muitos que te seguiam? O que são um punhado de expectadores diante da multidão que dizia te amar, te entender e te respeitar?

E eu te responderei: Aqueles que ficaram são realmente teus amigos. Enquanto a multidão te insuflava o ego, enchendo-te de vaidades e poder, eles, os verdadeiros amigos, vibravam para que tu não caísses de onde te colocaram. Eles, com atitudes muitas vezes duras e frias, deram a impressão de estarem com inveja da tua posição. Para ti, eles criavam intrigas, oposição e críticas destrutivas. Mas eles sempre estiveram ali, te amparando diante do êxtase ilusório em que te colocaram.

E tu irás me perguntar: Mas porque quando eu estava no meu auge, eles não eram os primeiros a me adular, a me seguir, a me prestarem reverências, já que eles dizem ser meus amigos?

E eu te responderei: Eles nada fizeram daquilo que você imaginava, pois eles são realmente teus amigos. Não aqueles que te bajulavam e te adulavam, mas aqueles que, como disse, vibravam para que tu não caísses da torre do ego e do orgulho em que te puseram. E que, caso a queda fosse inevitável, que eles pudessem com o amor do coração amenizá-la para que tu não te ferisses muito. Eles são aqueles que, muitas vezes, se calam para que tu reflitas sobre teus atos. E tu muitas vezes os chamastes de covardes. Mas olha ao teu redor e veja que, na tua queda, foram eles que te deram sustentação. E quando eles se afastaram, foi para que tu pudesses entender o que se passava, sem precisar falar nada. Mas nem assim tu entendestes. Achastes que eles se afastaram, pois teu brilho os ofuscava. Quanta pequenez, meu irmão.

Entenda sempre uma coisa: Amigo é aquele que te olha nos olhos e te diz o que tem pra dizer. Assim, creio que agora tu podes me considerar teu amigo, pois é isso que eu vim aqui fazer. Não será surpresa que um daqueles que te sorriu seja um dos muitos que te acertou a pedra. Mas tu poderás sem medo virar as costas para aqueles que te criticam olhando nos olhos, pois estes jamais cometeriam tal ato covarde.

Aprenda que a amizade é algo que vem de longe. Lembre-se sempre disso.”

Então, depois dessa passagem, abandonei as estrelas dos meus pensamentos e voltei para minha casa. Deixei as estrelas para trás e resolvi refletir sobre a minha incompreensão diante dos meus ditos inimigos. Muitos deles são mais amigos do que eu poderia imaginar. Vou buscar entender o brilho nos olhos diretos diante de suas críticas, que muitas vezes entendi serem destrutivas, mas que muito me fizeram crescer.

Obrigado aqueles que me fizeram crescer. Que eu possa entender cada ato e palavra que me foram passados, sem o escudo da proteção onde estava inscrita a palavra EGO, mas, agora, com o coração cheio de amor e a mente com discernimento suficiente para entender o que eu tenho que aprender.

Agradeço ao meu AMIGO estelar, pela oportunidade do aprendizado e pela amizade imortal.


Paz e Luz

- Fernando Golfar -

 

Imprimir