MOVIMENTO UNIVERSAL

Por caminhos percorridos, buscando algo superior ao ilusório que vivemos, encontramos sempre nele a dor e a desilusão.

Seja no amor, no trabalho, nas pessoas... aqueles que, num momento, parecem ser os mais importantes da vida, de repente desaparecem, sem deixar vestígio.

Devemos ter em mente que nada é estático no universo. Tudo está a cada instante se transformando. Destruição e regeneração em um único movimento celular.
O tempo que era chegado, já passou, e não percebemos. Estamos esperando ainda por aquele que virá aliviar a nossa dor, e nada fazemos para tirar o peso que se acumula nas costas.

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca.

Por que ficar estático? Para não correr risco?

Enganados estão os que pensam assim.

Olhe para o céu. Veja as nuvens que se movem suaves pelo universo. Nem elas estão paradas.

A água que você bebe... Já imaginou por onde ela já passou, em bilhões de anos de existência?

Pare e pense. Ela já foi gelo, vapor, e retornou ao líquido por várias vezes. Imagine quantos rios e nascentes que ela percorreu.

Assim, nem ela é estática. E se você deixá-la dentro de um copo, mesmo assim ela não estará parada. Estará se modificando.

E você, que é uma parte interativa da criação, desse movimentado universo, insiste em ficar parado?

Acha que ficar parado é estar se esquivando do sofrimento?

Não esqueça que você pode até estar se esquivando do sofrimento,mas o custo disso é alto, pois você pode estar deixando de viver uma grande oportunidade de ser feliz!

A dor é inevitável.

O sofrimento é opcional.

Basta ter discernimento para transformar um em outro.

Fernando Golfar
São Paulo, 31 de julho de 2003.

Imprimir