DOS CONFINS DO UNIVERSO

- Por Frank -



Abri o coração e o vi chegar. Veio sorrateiramente pelo topo da cabeça, refletindo no olhar. Era um raio de luz que vinha de além do universo. Era um raio de vida que vinha me libertar da doença da falta de sorriso.

Percebi-o chegando pela visão da meditação e duvidei se era real.
Podia estar imaginando coisas, mas também sentia. Podia ser apenas uma ilusão, mas a sensação era de profundo bem estar.

Da tristeza que sentia, passei a sentir uma alegria intensa, uma vontade de rir e chorar ao mesmo tempo. Chorar por ainda conseguir sentir, conseguir sintonizar, conseguir canalizar esse raio de amor que abre sorrisos e desfaz os nódulos de tristeza que nos impedem de enxergar o brilho da vida.

Fiquei quietinho, respirando essa luz pelo topo da cabeça, percebendo-a deslizar pelos meus chacras e sair de fininho pelos poros da minha aura.

Quis enviar essa luz para todo mundo, para as pessoas que conhecia, e para outras tantas que jamais veria, e deixei a luz fluir...

Virei um sol bem no centro da minha sala; emanando esse amor que recebia para todo o universo. Sorri de contentamento por estar compartilhando isso, fundindo esse amor com todas as pessoas que naquele momento estavam sintonizadas e conseguiam captar esse sorriso que eu oferecia.

Jamais imaginei que um sorriso tivesse tamanha força. Jamais imaginei que esse raio que captava poderia me transformar em uma super-nova do amor universal.

Então, a mente questionou a luz, que não cessava de chegar:

- De onde vem tanto amor?

- Você está recebendo uma pequena fração do amor de Jesus - a luz respondeu.

E aí não houve mais conversa, nem perguntas e respostas; apenas o amor desse avatar* fluindo pela atmosfera...


São Paulo, 01 de marco de 2006.

- Nota de Wagner Borges:

Frank é o pseudônimo do nosso amigo Francisco, participante do grupo de estudos do IPPB e da lista Voadores. Depois de vários anos morando em Londres, ele voltou a residir em São Paulo, em fevereiro de 2005. Ele escreve textos muito inspirados e nos autorizou a postagem desses escritos. Há diversos textos dele postados em sua coluna da revista on line de nosso site e em nossa seção de textos periódicos, em meio aos diversos textos já enviados anteriormente. www.ippb.org.br


- Nota do texto:

* Avatar (do sânscrito): emissário celeste; enviado divino; ser de luz.

Imprimir