EU - MINH´ALMA GÊMEA!

São todas almas gêmeas,
As que nascem do útero da Mãe,
As que imigram da célula do Pai.

As luzes que espargem estrelas no céu,
E as sombras que cobrem a aura do Sol.
São almas gêmeas,
O amor impossível, e o ódio mais que fugaz.
A guerra no seio da terra, e a onda possível da paz.
O mar que bate nas pedras, e as pedras que explodem no ar!

São almas gêmeas,
Aqueles que jogam sua ira nas Torres Gêmeas
Com aqueles que oram em devoção nas cavernas.
Os que invadem casas alheias, e os que respeitam outras idéias.

Exu e Iemanjá,
Lúcifer e Jeová,
O aqui e o acolá.

Samael e o arcanjo Miguel,
A luz solar,
E as nuvens negras esparsas no céu.

O Verso e o Universo.
O Todo que está em Tudo.
A voz e o surdo-mudo.

O gato voraz e o cão feroz.
O terno manso e o eterno algoz.
O mártir e o covarde.
O ar que resfria e a chama que arde.
O prazer e a dor.
O fazer e o bolor.

O Lao Tsé e o Mao Tsé,
Satanael e o doce Jesus,
A escuridão e a Luz.

Que a busca está para dentro de si,
Que tudo está completo em ti.
Que aquele que procura fora,
Está por fora e não se acha dentro!

Que aquele que só está feliz em mãos alheias,
Fica na mão e de mãos vazias, e
Sua alma nunca está cheia!

- Maurício Santini - São Paulo, 26 de novembro de 2002.

- Nota de Wagner Borges: Maurício Santini é nosso amigo e um dos colunistas de nosso site. Sua coluna contém diversos textos inspirados, e gradativamente entrarão outros, pois ele escreve muito. Vale a pena dar uma olhada em seus escritos que já estão por lá.

Imprimir