UM POR TODOS!

- Por Maurício Santini -

Atenta! O ego é uma cilada!

Ora e vigia porque a roda gira...

Pondera que o que está em cima, um dia verte e se abisma abaixo.

Mesmo que te elevem ao mais alto posto, jamais esqueça QUEM ESTÁ NO MAIS ALTO POSTO!

Quem de fato e de direito governa o Infinito.
Mesmo que te louvem e saúdem com ramos e tapetes rubros, estende tu a toalha da humildade e passa por cima do ego como o Cristo que exaure a soberba!

Mesmo que te entoem hinos de louvor e consagração, canta a melodia da simplicidade e grita, emudecido, as notas do silêncio profundo que fala mais alto ao coração.

E assim, ao te condecorarem com o título de nobreza na Terra, seja nobre ao transmutar a realeza do ouro alquímico da compaixão.

Que não há nada mais real do que a ilusão da vida!

O pódio pode ser o ápice da dor!

A fama pode escancarar o sofrimento.

E mesmo que se batam palmas em tua homenagem, agradece e guarda, pois a natureza dá palmadas aos que reagem com o ego inflado.

Se um dia, te for dada a responsabilidade de conduzir parte da humanidade, faz como o bom pastor que ara a terra e cuida das ovelhas do rebanho, todavia sem se desgarrar no egoísmo ou cair nas armadilhas que cava no terreno.

Porque são muitos os buracos na terra, e muitos tropeçam na vaidade.

Se te for ofertada a chance de chefiar uma nação, pensa e age como o mais humilde do povo, o servo que se curva diante das leis do Universo e rege com a Batuta do Criador.

Torna-te o sinônimo da vontade de Deus.

Seja o antônimo da pretensão e o anônimo no feitio do bem. Assim brilhas na escuridão como um facho de luz a ofuscar os falsos astros e estrelas.

E quando chegares ao patamar de anjo, cuida ainda mais.

Porque até os anjos caem e mergulham no inferno do egocentrismo.

Concorrem com Deus e perdem seus cursos num mergulho abismal.

E se no final, onde não existe o final, chegares ao grau mais alto da consciência individual, aí não terás mais perigo, porque é justamente neste momento que tu te tornas uno e coletivo e enxerga que o auge do Todo é tudo!

Humilde, próspero, simples e bem aventurado! Fragmentado em incontáveis partículas de luz, que somos todos nós!


P.S.: Dedico este poema aos que, pelo sucesso, se vestem de clones de Deus.


- Maurício Santini -
São Paulo, 04 de setembro de 2004.

- Nota de Wagner Borges: Mauricio Santini é jornalista, escritor, poeta e espiritualista. É meu amigo há muitos anos, e sempre me emociono com os seus textos brilhantes e cheios daquele algo a mais que só os grandes escritores e poetas possuem.
Para ver outros textos dele, basta entrar em sua coluna na revista on line
de nosso site (www.ippb.org.br)

Imprimir