SONHO, ILUSÃO, REALIDADE...

De repente, eu me dei conta de que a vida é aquilo que sonhamos que ela seja. Mas como assim?

Muita gente vai dizer: “o que estou vivendo não tem nada a ver com o que sonho para mim”.

Tudo bem. Olhe bem para dentro e descubra os valores vitais que a vida, nossa grande mestra, está lhe fazendo compreender, através do crescimento pessoal, da maturidade. Perceba que a vida num corpo físico é um sonho de Si mesmo e questione-se agora do quanto tem estado consciente da sua capacidade criativa, do divino potencial que cada um de nós é.
Encontre as raízes dessa relação entre vida e sonho, desapegando do ego em si.

Perceba a diferença entre o que se é e o que se pensa ser.

Olhe com desprendimento, com verdade.

É um choque nos darmos conta dos valores que pensamos não ter a menor importância, mas que nos guiam às ilusões contínuas.

É nas situações corriqueiras que o cotidiano, coadjuvante principal, auxilia na expansão da consciência (entenda como entrar mais profundamente na Verdade), quer a gente se dê conta disso ou não. Na inconsciência, atua-se mais pela memória e pelo racional do que pela intuição e pela lógica.

Quando as cenas tornam-se repetitivas demais, tanto nas relações amorosas, quanto no dia-a-dia do trabalho, busque a síntese. Olhe mais claramente para a sua própria relação e expressão com a sua família. Isso ilustra perfeitamente o aprendizado e a compreensão que a vida está tentando lhe dar. É o despertador!

Exemplificando: todas as dificuldades e barreiras que estão nesse processo ajudam a desenvolver quais características pessoais positivas e destrutivas?

Como desequilibrar menos, para equilibrar o que falta nesse desenvolvimento?

Todos os paradoxos, afinidades e rejeições principais estão nessa raiz do desenvolvimento: a família. A contrariedade e a aceitação são o preparo necessário no florescer da sua espiritualidade (sim, é seu próprio espírito trabalhando a evolução).

Teste aí sua liberação interna de velhos padrões, porque, se conseguir esta libertação, então, você é capaz de enfrentar todas as mazelas sociais sem se detonar na baixa auto-estima ou na arrogância.

Portanto, olhe para dentro. Separe o sonho da ilusão e brinde a vida com a realidade.

Aí está o segredo da motivação, da força unida à doçura, do desempenho bem sucedido, e não daquele sucesso social que todos contabilizam com grana e “status quo”, mas que é puro verniz.

Fazer isso é entrar num estado alterado da consciência. É encontrar o Eu, é Ioga*: a união do microcosmo com o macrocosmo na pura realização do amor consciente. Assim é que se rompe com o passado, com o desejo (sede da ilusão) e se conquista a liberdade.

Para o sono sem sonhos evoluir para o estado de Alma Universal, é necessário que o sonho da criação (criador-criatura) seja realizado pela mente sã, desperta a partir do coração.

Quem tiver olhos para ver, que veja!

O infinito (o Profundo) prospera além da ilusão e dos sonhos, para quem está acordado.


Paz e Luz,

- Monica Allan -
São Paulo, 14 de junho de 2005.

Imprimir