MAGIA SAGRADA DO ALTO E DO BAIXO EGITO

- por Tom Lobo Vermelho -

Aton (1), O Deus Supremo, está se recolhendo.
Na frente das pirâmides, dois espíritos, um encarnado e o outro desencarnado, olham, atenta e silenciosamente, o belo espetáculo.
Milhares de anos se passaram, mas o Amor, a roda motriz do Universo, continuou seu giro criativo.
Akhenaton e Tutankhamon estão de mãos dadas. Ajoelhados, devido à Luz que incidiu sobre eles, as lágrimas espraiam-se em suas faces.
Quantas Magias praticadas para o Bem da Humanidade...
Quantas tentativas para fazer com que O Grande Ideal do Espírito pudesse florescer na Terra de Kemi.
Agora, viajando pelas inefáveis ondas do plano mental, adentram as Portas Sagradas da Alta Iniciação.
E o Hierofante (2) que conduz a prática iniciática lhes dá uma lição para profunda reflexão: “Em um só bloco dessas pirâmides há poder e sabedoria cósmica suficientes para aniquilar de uma só vez o ego de toda a Humanidade!"
Conscientes dessa lição, ambos voltam para seus planos de origem; o desencarnado para o Astral; o encarnado para o corpo denso, no plano físico.
É manhã no Brasil.
Ao sair para o trabalho, o encarnado percebe que uma companhia extrafísica alegre o acompanha, e parece lhe dizer espiritualmente: "Lembre-se do bloco da pirâmide... Reflita... Pratique..."
E a Magia do Alto e do Baixo Egito se faz presente: A Vida... Aton!

(Dedicado ao grande Akhenaton).


1. Aton: O Deus da Luz na cosmogonia do antigo Egito.
2. Hierofante: dentro das tradições herméticas clássicas, é o mestre iniciador que submete o candidato (neófito) às provas iniciáticas.

Imprimir