57 - FIM DO QUÊ? - II

Alguém me perguntou:
"Wagner, o que você acha desses grupos apocalípticos que estão espalhando pela Internet que ocorrerão grandes catástrofes em breve? Haverá mesmo algum tipo de resgate de grupos de pessoas escolhidas espiritualmente por extraterrestres?"

Eu respondi:
"Muitas pessoas me enviam cartas e e-mails perguntando a mesma coisa. A maioria são pessoas que participam de alguma linha espiritual. Não entendo. São espiritualistas e sabem que não morrem. Por que ficam tão preocupadas com o fim de alguma coisa? Será que o medo devorou seus estudos espirituais? Será que não percebem o brilho da imortalidade dentro de si mesmas e nos demais seres da multidimensionalidade?

Espero que essas linhas deixem bem claro o que penso a respeito (não sou dono da verdade, isso é apenas a minha opinião). Espero não ter que responder novamente perguntas sobre fim de mundo e resgate (estou ocupado demais tentando crescer e rir mais).

Muitas pessoas que participam desses grupos são bem intencionadas, mas desde que um grupo se ache diferente do resto da humanidade e sinta-se eleito para alguma coisa (no caso o tal resgate), isso já demonstra um grande ego e falta de percepção da unidade que liga todos os seres no Universo. Se houver alguma coisa nesse sentido, acho que não me sentiria bem sabendo que a maior parte da humanidade vai se ferrar.

Não me sinto diferente dos outros seres humanos, por isso acho que não serei resgatado. Acho que as naves passarão bem longe aqui de casa. Enquanto isso, vou trabalhando e evoluindo, não por medo de alguma coisa, mas sim pelo discernimento de que preciso ampliar os horizontes e fazer o melhor possível dentro da caminhada de vida que escolhi nessa existência.

A resposta que dou aos mensageiros do apocalípse é sempre a mesma: Estou trabalhando, aqui e agora! E o dia de amanhã reserva muitas possibilidades diferentes. E há uma luz danada de bonita brilhando dentro do meu coração. É ela que me ordena a seguir em frente e só prestar atenção naquilo que é positivo. Além do mais, não levo jeito pra ser juiz de ninguém. Como vou saber quem é escolhido ou não? Por não ser juiz da Nova Era, abstenho-me de falar qualquer coisa sobre juízo final e coisas do gênero. Prefiro ir trabalhando e prestando atenção no dia de hoje. O amanhã virá naturalmente. Quando ele chegar, procurarei fazer algo positivo, não no papel de escolhido de alguma coisa, mas apenas no papel de um ser humano tentando evoluir e ser criativo."

"Experiência não é aquilo que te acontece. É o que você faz com o que te acontece!"

Paz e luz!

- Wagner D. Borges -
(ser humano, botafoguense, apreciador de rock progressivo e new age, pai de duas filhas, neófito da vida e espiritualista da cabeça aos pés, incluindo os corpos sutis)
/*



Texto <57><08/10/1998>

Imprimir Email