64 - DIÁLOGOS - IV

Qual é o ser humano que pode dizer: "Eu sou uma autoridade em amor"?

Quem tem autoridade para dizer isso é só o próprio amor, do qual o ser humano é só veículo.

Ele é a causa; a existência é seu efeito correspondente.

Feliz é aquele que é UNO com o "AMOR MAIOR QUE GOVERNA A EXISTÊNCIA"!

Os passos do homem justo são guiados pelo discernimento e pela compaixão.

Em seu coração brilha um Sol de amor.

Em sua inteligência há uma grande alegria pela oportunidade de aprender.

Não há mediocridades em seu íntimo.

Ele adora rir.

Sabe que não sabe tudo. Por isso, sua mente e coração estão abertos ao fluxo da vida em todas as dimensões.

Ele está no mundo, mas não pertence ao mundo!

Não obstante sua sabedoria, há sempre uma expressão de simplicidade em sua manifestação.

Ele segue a senda do Bem, pois vê a Luz do Todo brilhando na alma de cada ser. Ele sabe que o Todo está em tudo!

O homem justo sempre agradece ao Todo por tudo!

Ele ri e diz: "Não sou autoridade em amor, sou apenas filho dele!"

(Com esse homem aprendi que há mais sabedoria em uma flor do que na mente dos homens arrogantes. Esse "homem-luz" é o sábio Sócrates. Este texto é dedicado a ele).

- Wagner D. Borges -
São Paulo, 16/10/98
/*



Texto <64><31/10/1998>

Imprimir Email